• Facebook
  • Twitter
  • Google+

O bom e velho alongamento

19 de agosto de 2013

O alongamento é um tipo de exercício que provoca o aumento do comprimento dos músculos, dos tecidos conjuntivos e de outros tecidos do corpo.

O-bom-e-velho-alongamento Quando alongamos, sentimos nossos membros esticarem, o que nos causa um pouco de desconforto e esforço, mas ao final, nos traz uma espécie de alívio físico, até prazeroso.

Muita gente faz alongamento. O problema é que a maioria das pessoas o pratica de maneira incompleta por considera-lo apenas como uma espécie de aquecimento para outras atividades físicas. Sem conhecer os reais benefícios do alongamento, os frequentadores de academias e pistas de corrida alongam-se como uma forma de introdução ao esporte ou ao condicionamento físico.

Alongamento é isso e muito mais do que um simples aquecimento. Na verdade, há toda uma ciência escondida por trás do alongamento, pois há várias formas de alongar as diversas partes do corpo e o ideal é que todos os grupamentos musculares sejam alongados, em uma espécie de sequência.

Há vários tipos de alongamento, dependendo do objetivo, da capacidade corporal do praticante e do nível de seu treinamento. Estático, Dinâmico, Passivo e Ativo. Cada corpo pede um e o que deve nortear a pratica é a sua finalidade. Para que você precisa alongar? Para desenvolver a maior flexibilidade do seu corpo, para manter a flexibilidade que você já tem ou para reabilitar a flexibilidade perdida por alguma lesão ou paralisação?

Ser flexível é manter a juventude do corpo, por isso é tão importante manter essa condição no decorrer da vida.

Flexibilidade é a capacidade de mover os músculos e articulações do corpo em todas as amplitudes de movimento, ou seja: essa é a situação de movimento natural do nosso físico e só a perdemos com o passar do tempo, justamente pela falta de alongamento. Alterações posturais ou físicas, sofridas pelo corpo, no decorrer da existência, também afetam a nossa flexibilidade que se modifica com certa facilidade.

A boa notícia é que a flexibilidade pode ser desenvolvia em qualquer idade. Tudo depende de um treinamento apropriado, com a condução de um profissional habilitado que conheça a capacidade de cada corpo e as limitações próprias de cada idade.

Atualmente, há muita controvérsia e pouco consenso sobre as recomendações quanto à duração, a frequência, o tempo da prática e a intensidade dos exercícios de alongamento. Por isso, o correto é não partir para a execução sem auxílio técnico.

Para alongar-se de forma segura, é importante executar os exercícios seguindo uma espécie de programa com técnicas corretas, adequadas e com intensidade lenta e gradual para evitar lesões.

O alongamento é uma das boas práticas que você pode desenvolver em favor do seu corpo. Ele melhora o relaxamento físico e mental, desenvolve a consciência corporal, reduz a irritabilidade dos músculos e também diminui a tensão muscular.

Mas, preste atenção! Apesar dos vários benefícios que o alongamento proporciona, há riscos também. A flexibilidade, quando excessiva, pode desestabilizar as articulações e aumentar o risco de lesões dos músculos, dos ligamentos ou das articulações. Uma articulação hiperflexível torna-se frouxa e sua amplitude de movimento vai além do normal, o que gera instabilidade e pode provocar entorses frequentes, desgastes da articulação e até mesmo, uma artrose precoce.

Como tudo na vida, a atitude mais indicada é a do equilíbrio e da harmonia. Cada corpo possui seu limite que precisa ser respeitado. Te consciência corporal é conhecer esse limite e entender quando é hora de parar ou de pedir auxílio a um profissional.

Comentários