• Facebook
  • Twitter
  • Google+

Pilates terapêutico: saiba mais!

05 de fevereiro de 2019

O Pilates Terapêutico é aplicado por fisioterapeutas como uma forma de reabilitação para seus pacientes. Ou seja, em vez dos exercícios tradicionais da fisioterapia, o Pilates entra em cena, proporcionando alongamento, mobilidade, favorecimento da coordenação motora e ganho de consciência corporal. Dessa forma, antes de mais nada, é feita uma avaliação, identificando o que precisa ser trabalhado. Com as técnicas corretas, é possível reverter quadros de hérnia de disco, escoliose, lesões de joelho e ombro e lombalgias. 

Pilates terapêutico e a cinesioterapia

Essa palavra complicada, na verdade, é uma ciência que abrange o tratamento dos sistemas neuro-músculo-esquelético e circulatório por meio do movimento ou do exercício. Então, o Pilates, com todas as suas funções de fortalecimento, alongamento, mobilização, favorecimento da coordenação motora e auxílio no ganho da consciência corporal, é um excelente aliado na fisioterapia quando abordamos o processo de reabilitação.

Ele pode ser usado em todas as fases do tratamento, como na inicial, com distensões musculares e alongamentos passivos. Na intermediária, com alongamento e fortalecimento ativo e também na fase proprioceptiva, incluindo exercícios de coordenação motora, equilíbrio e simulação de retorno as atividades de vida diária.

Pilates terapêutico e esporte

Cada modalidade esportiva pode ter exercícios diferentes no Pilates Terapêutico, porém, não existe um protocolo a seguir. O importante é que cada sessão seja pensada com base na avaliação individualizada do paciente.  O principal objetivo, seja em qualquer esporte, é buscar o reequilíbrio muscular e prevenr sobrecargas e lesões decorrentes da prática.

Lembrando que, após três meses, é importante avaliar o paciente e, então, traçar novos planos para seu tratamento.

 

Comentários